Transplante Capilar FUE: tudo o que precisa saber

Saiba todos os detalhes sobre a técnica FUE

A técnica FUE (Folicular Unit Extration) é utilizada devido à queda de cabelo, sendo a causa mais comum, a alopecia androgenética (alopecia hereditária). A grande adversidade da alopecia androgenética, além dos próprios fatores genéticos do indivíduo, é a hormona di-hidrotestosterona (DHT). A enzima 5ɑ-redutase catalisa a DHT a partir da testosterona, originando uma hormona mais forte. Esta reação ocorre em algumas áreas do couro cabeludo, como na coroa e na zona frontal, não sendo por acaso, essas regiões as campeãs da queda de cabelo nos homens. As mulheres também produzem esta hormona mas em muito menor quantidade.

 

Aproximadamente de 95% dos homens calvos têm origem genética, mas praticamente todos apresentam cabelo na nuca e nas zonas laterais, estas são as regiões não afetadas geneticamente, e por consequente, hormonalmente. É precisamente por isto que estas áreas servem como doadoras de fios no transplante capilar FUE, ao ser transplantado de uma parte do corpo para outra, o fio capilar, manterá as características do local de origem, conservando-as por tempo indeterminado, logo os fios transplantados não terão tendência a cair.

 

Sobre o transplante capilar FUE

 

O transplante capilar FUE é o procedimento mais usado em todo o mundo, com excelentes resultados que se traduzem num aspeto natural. No transplante capilar de unidade folicular retira-se cabelo de áreas onde não se verifica queda de cabelo (área doadora), habitualmente sob a forma de uma fina tira de pele ou folículo a folículo. Uma vez que o recetor é o próprio doador, diminui drasticamente  o risco de rejeição ou de reação alérgica.

 

Prosseguindo, esta técnica é realizada em duas fases bem distintas, a extração e o implante. Entre a extração e o implante os folículos ficam preservados numa solução salina em caixas de petri, assim reduz-se, praticamente evitando, a agressão dos folículos durante o processo. Primeiro realizam-se micro-orifícios na zona em que queremos melhorar a densidade de cabelo e, finalmente, introduzem-se os folículos colocando um ou dois cabelos em cada orifício.

 

Utilizando o transplante capilar de FUE não é necessário fazer cortes, sendo portanto esta técnica menos invasiva que a técnica FUT. O cabelo transplantado cai entre o 1º e o 2º mês. Entre o 3º e o 4º mês renasce, com um aspeto natural, e dura toda a vida.

 

Dependendo da área a tratar, o procedimento, demora em média 7 horas, o paciente irá para casa no mesmo dia não havendo necessidade de internamento. É minimamente invasivo, totalmente indolor, utilizando-se apenas anestesia local, a cicatrização ocorre rapidamente e os resultados permanentes são visíveis ao fim de alguns meses. O resultado é tanto melhor quanto maior a espessura do cabelo e a densidade da área doadora, quanto mais precocemente efetuar o transplante capilar menor o impacto na imagem. Nos 3 dias seguintes ao transplante, o cabelo não deve ser lavado, devendo ser hidratado somente com soro fisiológico. Não deve frequentar espaços para fumadores,  usar lenços ou chapéus e evitar a exposição solar.

 

Vantagens e desvantagens do transplante capilar FUE

 

Vantagens

* A extração é feita folículo a folículo. Evita-se o trabalho de ter que separar as unidades foliculares;

* Não se fazem cortes, sendo portanto esta técnica menos invasiva que a técnica FUT, não deixando grandes cicatrizes;

* Menor manuseamento do folículo quando comparada com a técnica FUT, evitando agressões que podem danificar o folículo a ser implantado;

* Menos desconforto no pós-operatório;

* Ausência de cicatriz linear, ideal para quem usa o cabelo curto;
* Possibilidade de realizar o transplante capilar mesmo em indivíduos com um couro cabeludo com pouca elasticidade;
* Pode-se obter pêlo de outras áreas doadoras: barba, tórax, etc… .

 

Desvantagens

 
* Na maioria dos casos são usados instrumentos de extração de 1, 1,2 a 1,5mm de diâmetro, deixando pequenas cicatrizes sob a forma de micro-peladas;
* Subdivisão de elevada percentagem de unidades foliculares com a utilização recorrente do microscópio;
* O implante é realizado em duas fases, primeiro a abertura de orifícios com cânulas na zona receptora. Posteriormente os folículos são colocados nestes orifícios, sendo praticamente impossível o controle total do ângulo e profundidade do implante;
* Necessário raspar o cabelo.

 

Sempre que realizamos uma intervenção cirúrgica, mesmo que pequena, devemos pesquisar e recorrer aos melhores serviços, procurar clínicas experientes com bons profissionais, inovadoras, que aconselhem e acompanhem o paciente no pré e pós procedimento. Em Portugal, a MediCapilar pioneira em transplante capilar, conta com uma equipa de profissionais de saúde de referência, com 7 anos de experiência, e ainda utilizam uma avançada técnica de extração individual dos folículos capilares, sem recurso a cortes de pele e sem cicatrizes.

 

Não perca mais tempo, marque já a sua consulta de avaliação capilar gratuita >>

Todos nós sonhamos com um cabelo grosso, bonito e saudável, mas por vezes devido a fatores genéticos ou ao stress do dia a dia, o nosso cabelo enfraquece e acaba por não apresentar um aspeto tão luminoso. A MediCapilar dispõe de um sistema de rejuvenescimento capilar laser com uma tecnologia inovadora aprovada pela FDA, o Low Level Light Therapy (LLLT), para a fotoestimulação laser folicular, que pode ajudar homens e mulheres a ter um cabelo grosso, brilhante e forte.

Cada pessoa é única e cada caso é um caso, mas com a fotoestimulação capilar laser pode combater a alopecia. A tecnologia LLLT permite o estímulo da circulação capilar, bem como da produção de cabelo de qualidade pela unidade folicular. Este procedimento não apresenta quaisquer efeitos adversos. Se é totalmente calvo, ou se apresenta uma alopecia grave, a MediCapilar dispõe de outros tratamentos personalizados.

 

Sistema de Rejuvenescimento Capilar Laser

 

No sistema de rejuvenescimento capilar laser é utilizado um capacete de laser patenteado que estimula o crescimento capilar. Este capacete cobre totalmente todo o couro cabeludo. Ao contrário de outros dispositivos laser portáteis, este usa lasers de classe 3R que são reconhecidos como seguros pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e não interfere com o uso simultâneo de medicação. A tecnologia LLLT consiste na aplicação de luz laser de baixa intensidade no couro cabeludo durante 20 a 25 minutos, o que vai levar à estimulação das células foliculares e da microcirculação que alimenta as mesmas.

A maioria dos dispositivos LLLT usa LEDs ou lasers, individualmente. O dispositivo utilizado na fotoestimulação capilar na MediCapilar utiliza fontes de luz laser e LED conjuntas e de alta qualidade. Esta forma de LLLT é eficaz para o crescimento do cabelo em homens e mulheres, que sofram de afinamento capilar ou queda de cabelo – alopecia. Nem todas as máquinas apresentam a mesma potência e energia e, portanto, não produzem os mesmos resultados. A luz vermelha emitida pelo laser e pelo LED, a um comprimento de onda entre 650-670nm, estimula as células dentro do folículo – a luz laser estimula as células do folículo piloso, enquanto a luz LED usa um feixe mais amplo de energia leve para cobrir uma área maior do couro cabeludo.

É importante usar a luz dentro do comprimento de onda recomendado para o tratamento ser eficaz. Estudos sugerem que o comprimento de onda mais eficaz para estimular o crescimento do cabelo é entre 650-670nm. A combinação dos lasers e LEDs oferece o benefício de ambas as fontes de luz para homens e mulheres com alopecia. O capacete utilizado pela MediCapilar apresentou o maior aumento percentual no crescimento de novos fios, em todos os estudos clínicos publicados sobre o crescimento capilar mediado por luz.

Se sofre de uma alopecia grave, e pensa em fazer ou se já realizou um transplante capilar, pode usufruir igualmente deste tipo de tratamento. O uso de LLLT pode ajudar a estimular a cicatrização das feridas e melhorar os resultados do transplante. Relatos informais, mostraram que sessões de estimulação com um capacete de LLLT imediatamente após a cirurgia, diminuíram o tempo de recuperação dos pacientes e contribuíram para aumentar a espessura do cabelo. Deve preferir um dispositivo que cubra todo o couro cabeludo, mas que não entre em contacto direto com o mesmo.

Atualmente, apenas o capacete laser patenteado utilizado na MediCapilar é seguro e eficaz em pacientes imediatamente após a cirurgia de transplante capilar.

Um tratamento para a queda de cabelo pode apresentar diversas componentes e fases, devendo ser executado por profissionais competentes. A MediCapilar conta com uma equipa de profissionais de saúde de referência, com 7 anos de experiência – eles saberão aconselhá-lo e dizer-lhe qual o melhor tratamento que se adequa ao seu caso.

Não perca tempo, marque já a sua Consulta de Avaliação Capilar Gratuita >>

O transplante capilar caracteriza-se pelo retirar de folículos capilares de zonas mais densas do couro cabeludo para que depois sejam inseridas nas regiões mais despidas do escalpe.

Este procedimento é utilizado devido à queda de cabelo, sendo a causa mais comum, a alopecia androgenética (alopecia hereditária). A grande adversidade da alopecia androgenética, além dos próprios fatores genéticos do indivíduo, é a hormona di-hidrotestosterona (DHT). A enzima 5ɑ-redutase catalisa a DHT a partir da testosterona, originando uma hormona mais forte. Esta reação ocorre em algumas áreas do couro cabeludo,como na coroa e na zona frontal, não sendo por acaso, essas regiões as campeãs da queda de cabelo nos homens. As mulheres também produzem esta hormona mas em muito menor quantidade.

Aproximadamente de 95% dos homens calvos têm origem genética, mas praticamente todos apresentam cabelo na nuca e nas zonas laterais, estas são as regiões não afetadas geneticamente, e por consequente, hormonalmente. É precisamente por isto que estas áreas servem como doadoras de fios no transplante capilar, ao ser transplantado de uma parte do corpo para outra, o fio capilar, manterá as características do local de origem, conservando-as por tempo indeterminado, logo os fios transplantados não terão tendência a cair.

Não obstante, da mesma forma que o transplante capilar é uma solução, também pode ser uma problema, caso o método seja realizado de forma inadequada com unidades foliculares mal inseridas, sendo a solução de retirar os cabelos extremamente complicada. Posto isto, deve procurar clínicas com bons profissionais e experientes, como é o caso da Clínica MediCapilar.

 

Existem alguns tipos de transplante capilar, que apresentam entre si diferenças na técnica usada e nos resultados obtidos, são estes:

 

FUT (FOLLICULAR UNIT TRANSPLANTATION) / STRIP

É a técnica mais antiga, praticada desde 1990. Consiste em remover um grupo de unidades foliculares em forma de tira do couro cabeludo da região posterior da cabeça. Nesta cirurgia remove-se uma tira de cabelo entre 1 a 2,5 cm de altura e 20 a 25 cm de largura, de forma a cortar folículos, a pele, músculos, nervos e algumas veias.

Este é um procedimento cirúrgico realizado sob anestesia geral e que deixa cicatrizes, como esta técnica não exige que os fios sejam raspados, após a sutura, o resultado é uma cicatriz linear fina e totalmente camuflável, por cabelos com mais de 1 cm de comprimento. A taxa de sobrevivência dos folículos é baixa, uma vez que, estes são muito manipulados e agredidos durante todo o processo.

 

Vantagens:

  • Permite que depois da extração da tira da zona doadora, continuemos com a mesma densidade de cabelo nessa área;
  • Não é necessário raspar o couro cabeludo.

Desvantagens:

  • Risco de infecção, ou criação de queloide, por causa da cicatriz;
  • Cicatriz para o resto da vida, o que inviabiliza o uso de cabelo curto;
  • Os folículos são separados da tira, sendo necessário a utilização de microscópio, verificando-se uma elevada percentagem de folículos danificados quer pelo excesso de manipulação como também pela alta exposição à luz e as diferenças de temperatura;
  • Necessário um couro cabeludo elástico;
  • Múltiplos transplantes dão origem a um aumento da cicatriz ou há criação de múltiplas cicatrizes;
  • Não pode ser usada em transplantes foliculares da barba ou tórax.

 

FUE (FOLLICULAR UNIT EXTRACTION)

Este método consiste em utilizar um punch com cerca de 1,2mm a 1,5mm de diâmetro para retirar unidades foliculares da região doadora (zona em que os folículos não têm os genes da alopécia androgenética) e colocar uma a uma na região receptora. Uma vez que o recetor é o próprio doador não existe o risco de rejeição ou de reação alérgica. Esta técnica é realizada em duas fases bem distintas, a extração e o implante. Entre a extração e o implante os foliculos ficam preservados numa solução salina em caixas de petri, assim reduz-se, praticamente evitando, a agressão dos folículos durante o processo. Utilizando a técnica de FUE não é necessário fazer cortes, sendo portanto esta técnica menos invasiva que a técnica FUT, não deixando grandes cicatrizes, sendo também a anestesia menos agressiva, uma vez que se trata de um anestésico local.

A técnica FUE é o procedimento, de transplante capilar mais usado em todo o mundo, com excelentes resultados que se traduzem num aspeto natural. O cabelo transplantado cai entre o 1º e o 2º mês. Entre o 3º e o 4º mês renasce, com um aspeto natural, e dura toda a vida.

Dependendo da área a tratar, o procedimento, demora em média 7 horas, o paciente irá para casa no mesmo dia não havendo necessidade de internamento. O resultado é tanto melhor quanto maior a espessura do cabelo e a densidade da área doadora, quanto mais precocemente efetuar o transplante capilar menor o impacto na imagem. Nos 3 dias seguintes ao transplante, o cabelo não deve ser lavado, devendo ser hidratado somente com soro fisiológico. Não deve frequentar espaços para fumadores,  usar lenços ou chapéus e evitar a exposição solar.

Sempre que realizamos uma intervenção cirúrgica, mesmo que pequena, devemos pesquisar e recorrer aos melhores serviços, procurar clínicas experientes com bons profissionais, inovadoras, que aconselhem e acompanhem o paciente no pré e pós procedimento. Em Portugal, a Medicapilar pioneira em transplante capilar, conta com uma equipa de profissionais de saúde de referência, com 6 anos de experiência, e ainda utilizam uma avançada técnica de extração individual dos folículos capilares, sem recurso a cortes de pele e sem cicatrizes.

Vantagens:

  • A extração é feita folículo a folículo. Evita-se o trabalho de ter que separar as unidades foliculares;
  • Não se fazem cortes, sendo portanto esta técnica menos invasiva que a técnica FUT, não deixando grandes cicatrizes;
  • Menor manuseamento do folículo quando comparada com a técnica FUT, evitando agressões que podem danificar o folículo a ser implantado;
  • Menos desconforto no pós-operatório;
  • Ausência de cicatriz linear, ideal para quem usa o cabelo curto;
  • Possibilidade de realizar o transplante capilar mesmo em indivíduos com um couro cabeludo com pouca elasticidade;
  • Pode-se obter pêlo de outras áreas doadoras: barba, tórax, etc… .

Desvantagens:

  • Na maioria dos casos são usados instrumentos de extração de 1, 1,2 a 1,5mm de diâmetro, deixando pequenas cicatrizes sob a forma de micro-peladas;
  • Subdivisão de elevada percentagem de unidades foliculares com a utilização recorrente do microscópio;
  • O implante é realizado em duas fases, primeiro a abertura de orifícios com cânulas na zona receptora. Posteriormente os folículos são colocados nestes orifícios, sendo praticamente impossível o controle total do ângulo e profundidade do implante;
  • Necessário raspar o cabelo.

 

 

FUE com Robot Artas®

 

O sistema robótico artas utiliza um programa informático que automatiza apenas o processo de extração da técnica FUE. Este programa de software permite digitalizar a imagem do couro cabeludo ampliada, usa um algoritmo que é capaz de analisar a quantidade, direção, ângulo e posição dos folículos no couro cabeludo. Com o artas o processo de extração do folículos torna-se mais rápido mas o implante é realizado da mesma forma que o procedimento da FUE.

Contudo, a FDA (Food and Drug Administration) afirma que a utilização do Artas® só deverá ser efetuada em mulheres ou pessoas com cabelos claros e encaracolados. Aliás, em Portugal apesar do robot estar disponível não é utilizado em pacientes.

Vantagens:

  • Rapidez na extração (900-1.200 unidades foliculares por hora);
  • Menor fadiga para o técnico, minimizando o risco de erro humano;
  • Não é necessário fazer cortes, sendo portanto esta técnica menos invasiva que a técnica FUT.

Desvantagens:

  • De acordo com a FDA, a utilização é limitada (só deverá ser efetuada em mulheres ou pessoas com cabelos claros e encaracolados);
  • Elevado risco da má utilização por técnicos inexperientes ou sem formação específica;
  • O implante é realizado da mesma forma que na FUE , ou seja, é realizado em duas fases, primeiro a abertura de orifícios com cânulas na zona receptora e só depois os folículos são colocados nestes orifícios, sendo praticamente impossível o controle total do ângulo, direção e profundidade do implante.
  • Desconforto no procedimento;
  • Está comprovado que o artas ainda não é 100% eficaz.

Não perca mais tempo, marque já a sua consulta de avaliação capilar >>

Está a um passo de mudar a sua vida.

Marque já a sua Avaliação Capilar Gratuita
e sem compromisso



Li e tomei conhecimento da política de privacidade e do direito de informação.