Calvície: causas e prevenção

Conheça as causas mais comuns da calvície e saiba como a tratar

Antes de explorarmos em detalhe as causas da calvície, como a prevenir e tratar, analisemos de que se trata mesmo a calvície:

A queda de cabelo, conhecida como calvície, recebe em medicina o nome de alopecia androgenética, que é a perda de cabelo causada por fatores genéticos. Também designada de calvície comum, é a situação mais frequente sendo responsável por 95% dos casos de calvície masculina.

Outro facto a ter em conta, é que calvície não é sinónimo de queda de cabelo. Existe queda capilar na calvície, mas esta tem uma razão genética e é mediada pela hormona di-hidrotestosterona (DHT) que debilita o folículo piloso.

 

Causas da Calvície

 

Os nossos fios capilares passam por três fases: crescimento, repouso e queda. Os cabelos crescem, entram em fase de repouso e param de crescer, ficam fracos, caem e tudo se repete, ou seja, novos fios de cabelo voltam a crescer. O problema é quando este ciclo sofre alterações causando a calvície – caem mais cabelos do que aqueles que crescem, afetando mais aquelas pessoas com predisposição genética.

A calvície comum tem como principal causa fatores genéticos mediados pela hormona DHT. A enzima 5ɑ-redutase catalisa a DHT a partir da testosterona, originando uma hormona mais forte. Esta reação ocorre em algumas áreas do couro cabeludo,como na coroa e na zona frontal, não sendo por acaso, essas regiões as campeãs da queda de cabelo nos homens. Por isto, é mais frequente nos homens, manifestando-se em 90%, em indivíduos com mais de 21 anos. As mulheres também produzem esta hormona, mas em muito menor quantidade, logo no sexo feminino a calvície costuma ser menos intensa e, portanto, mais discreta, sendo mais facilmente camuflável. Ainda assim, pode tornar-se bastante notório com a chegada da menopausa ou quando existem outras patologias a nível hormonal, o que causa diminuição da densidade e da quantidade capilar.

 

Prevenção e tratamento da calvície

 

Prevenir esta patologia é difícil uma vez que apresenta causa genética. No entanto, pode ser detectada precocemente e devidamente tratada. Devemos procurar um médico especialista e seguir o seu conselho. Numa fase inicial podemos recorrer a medicação, sujeita a receita médica, como a Finasterina e o Minoxidil considerados eficazes no tratamento da calvície. A Finasterina é um inibidor da 5ɑ-redutase, ao inibir esta enzima diminui-se a presença da hormona DHT que provoca a queda do cabelo. O Minoxidil tem uma aplicação cutânea e estimula o crescimento do cabelo. Porém, o transplante capilar é o único tratamento definitivo para a calvície, e é o único capaz de cobrir a área calva naturalmente. Atualmente o transplante capilar é uma cirurgia que oferece resultados totalmente naturais, nas mãos de profissionais especializados e clínicas altamente especializadas como a MediCapilar – o resultado é definitivo.

Dos indivíduos que sofrem de calvície, em aproximadamente 95% casos, a causa é genética, mas praticamente todos apresentam cabelo na nuca e nas zonas laterais, que são as regiões não afetadas geneticamente, e por conseguinte, hormonalmente. É precisamente por isto que estas áreas servem como doadoras de fios no transplante capilar. Ao ser transplantado de uma parte do corpo para outra, o fio capilar manterá as características do local de origem, conservando-as por tempo indeterminado. Logo, os fios transplantados não terão tendência a cair. Não obstante, da mesma forma que o transplante capilar é uma solução, também pode ser um problema, caso o método seja realizado de forma inadequada com unidades foliculares mal implantadas. Posto isto, deve procurar clínicas com bons profissionais e experientes, como é o caso da Clínica MediCapilar.

 

Não perca mais tempo, marque já a sua Consulta de Avaliação Gratuita >>

Está a um passo de mudar a sua vida.

Marque já a sua Avaliação Capilar Gratuita
e sem compromisso



Li e tomei conhecimento da política de privacidade e do direito de informação.